Fale Conosco 66 3410-2700

Notícias

Oncologia: Suspensão de serviços estava prevista

publicado em 28 de maio de 2019

A diretoria da Santa Casa de Rondonópolis confirmou ao A TRIBUNA que, realmente, foram suspensos alguns serviços da Oncologia na unidade hospitalar, mas esclareceu que essa suspensão nos serviços estava prevista e que o assunto foi comunicado para a imprensa e para agentes públicos, como o próprio vereador Fábio Cardozo (PDT), que levantou a questão na sessão da Câmara Municipal, realizada na quarta-feira (22). A suspensão seria em função da migração do serviço da Nutec, que foi responsável pela Oncologia por 16 anos, para a empresa Oncohealth Brasil, que assumiu os serviços na última segunda-feira (20).

De acordo com a diretora financeira da Santa Casa, Nezir Ribeiro de Freitas, apenas alguns serviços foram suspensos, como a quimioterapia e procedimentos médicos, mas garante que tudo voltará à normalidade nos próximos dias. “O que está havendo é uma transição da Nutec para a Oncohealth. No último dia 17, a Nutec passou quase dois mil prontuários para a Oncohealth, que está digitalizando esse material para o seu sistema. Então, pedimos essa semana de prazo para a nova empresa terminar de se instalar e, no máximo, até o dia 30 vai estar tudo normalizado. Mas é bom esclarecer que a empresa está atendendo casos de emergência e reagendando todas as consultas e procedimentos marcados anteriormente. Suspensos mesmo estão só a quimioterapia e outros procedimentos médicos mais complexos”, informou.

Ainda de acordo com ela, a questão da suspensão desses atendimentos foi amplamente divulgada pela direção da Santa Casa e ela diz estranhar os questionamentos do vereador. “É claro que se o vereador nos procurar, pessoalmente ou por meio de ofício, nós vamos conversar. Mas eu acho estranho porque ele está sabendo de tudo. Tivemos uma reunião em que estiveram presentes ele, a secretária de Saúde Izalba (Albuquerque) e a promotora de Justiça Joana (Ninis) e ele foi informado de tudo e não fez nenhum apontamento. Porém, se sobrou alguma dúvida, que ele se dirija à Santa Casa ou por escrito que nós vamos responder. Mas esse assunto já foi tratado tanto com o vereador quanto com a imprensa e achávamos que ele tinha entendido”, concluiu.

A suspensão dos serviços oncológicos por parte da Santa Casa foi tema de um inflamado discurso de Fábio Cardozo na última quarta-feira, quando ele exigiu do hospital explicações sobre a paralisação e também detalhes do seu contrato com a nova empresa que está assumindo os serviços oncológicos da unidade.

A empresa que está assumindo os serviços é a Oncohealth Brasil, sediada no estado do Rio de Janeiro. Quando da sua contratação, a direção da Santa Casa justificou o fato dizendo que isso geraria uma economia mensal superior a R$ 100 mil e que a expectativa da contratante é que os serviços fossem mantidos no mínimo com a mesma qualidade e presteza que tinha sob a responsabilidade da Nutec.

Da redação – Jornal A Tribuna