Fale Conosco 66 3410-2700

Notícias

Representantes da Santa Casa Rondonópolis realizam visita ao Ministério da saúde a fim de solicitar agilidade na habilitação do Centro de Parto Normal

publicado em 13 de maio de 2019

A Direção e superintendência da Santa Casa Rondonópolis (SCR) se reuniu na última quinta- feira com os representantes do Ministério da saúde (MS), na ocasião também estavam presentes o Deputado Federal José Medeiros e o vereador Reginaldo Santos. Durante a reunião foram apresentadas as dificuldades financeiras enfrentadas pelo hospital além dos dados referentes aos serviços prestados, receitas e despesas hospitalares, e custo dos procedimentos realizados no atendimento em diversas especialidades para a população dos 19 municípios da região Sul do Estado.

De acordo com o vice – presidente da instituição, Dr. Sinésio Alvarenga, o principal objetivo da reunião foi solicitar apoio financeiro por meio da destinação de recursos para a Santa Casa, pois todos os dados apresentados reforçam o cenário de crise que o hospital enfrenta diante da defasagem da tabela SUS.

“Com o aumento dos custos hospitalares, incluindo medicamentos, salários de funcionários, materiais de limpeza e contratação de médicos para atendimento, há cerca de um ano, estamos tomando medidas de redução de custos e buscando novas fontes de receitas, para minimizar o sub-financiamento do SUS, que há mais de uma década não atualiza sua tabela de pagamentos”, afirma.

 

Na pauta da reunião também foi discutida a agilidade no processo de habilitação dos leitos do Centro de Parto Normal (CPN) da Santa Casa, o setor está em funcionamento há quase dois anos e presta atendimento à mulher e ao recém-nascido no momento do parto e do nascimento, em conformidade com o programa Rede Cegonha, entretanto até hoje os leitos ainda não foram habilitados pelo Ministério, o que representa recursos na ordem de 840 mil ao ano.

De acordo com a superintendente da instituição Bianca Talita Franco, várias medidas de redução de gastos foram tomadas para enfrentar a crise que a Santa Casa vem passando, desde a renegociação de contratos até a implantação de metodologia Lean, ações essas que minimizam o risco do hospital interromper o andamento de serviços essenciais à população devido à falta de recursos.

Entretanto mesmo diante de todos os esforços, a superintendente afirma que esta situação lamentável que a Santa Casa enfrenta atualmente pode desencadear a paralisação dos serviços hospitalares.

“Precisamos que nossos prefeitos, deputados, senadores e demais autoridades do Estado de Mato Grosso busquem junto conosco alternativas de resolver a situação financeira da instituição, estamos operando em déficit há vários anos e fazendo uma gestão criteriosa de todos os recursos do hospital para não deixarmos de atender com excelência, mas é nítido que precisamos de apoio, a situação das Santas Casas é precária em quase todo país, dessa forma reforçamos aqui o nosso apelo, para que juntos busquemos medidas de quitar as dívidas e saldar o déficit hospitalar que em 2018 finalizou na casa dos R$ 10 milhões, pois se a Santa Casa parar o prejuízo será para toda a população da região Sul do Estado, e isso não pode ocorrer”, afirma a superintendente.

O vice – diretor presidente da Santa Casa, Dr. Sinésio Alvarenga, destaca que a reunião foi muito produtiva, tanto para cobrar financiamento integral da saúde com o pagamentos de valores justos, quanto para  firmar parcerias sólidas na busca de recursos e materiais que serão utilizados no custeio da instituição.

“Finalizamos a reunião com a promessa do Ministério da Saúde agilizar o processo de habilitação do Centro de Parto Normal, pois estamos realizando atendimentos sem receber esse recurso tão importante, e acima de tudo quero destacar o empenho do Deputado José Medeiros, que já destinou R$ 3 milhões em emendas para o hospital, valor este que foi investido no novo grupo gerador de energia que em breve será inaugurado, e que como parlamentar continua se empenhando para buscar emendas de custeio para a unidade hospitalar, pois hoje são essas destinações que nos ajudam a fazer a gestão e garantir os atendimentos, precisamos que todos os parlamentares do nosso Estado abracem a situação da Santa Casa e também alavanquem esses recursos de custeio por meio de emendas para cobrir o déficit que a tabela defasada do SUS gera para nosso caixa todos os meses, e não desassistir toda população que necessita de atendimentos em saúde”, conclui  o vice – presidente.